Página Inicial
Galeria de fotos
Galerias
Livros publicados
Livros
Prêmios
Prêmios
Livros publicados
Crítica
Livros publicados
Contatos
Trasncriações
Trans-
criações

Sobre o Autor
Galeria de fotos

ALCIDES BUSS (Salete, SC - 1948) é professor de Teoria Literária na Universidade Federal de Santa Catarina desde 1980, tendo se aposentado em 2008. Foi diretor da Editora da UFSC no período de 1991 a 2008. Anteriormente, foi professor titular de Literatura Brasileira e Teoria Literária na Univille (Joinville, SC), entre 1974 e 1979. Iniciou sua carreira literária com o livro Círculo Quadrado, em 1970. Depois disto publicou mais vinte obras, sendo uma delas um estudo sobre Cobra Norato, do modernista Raul Bopp. Durante a década de 70, atuando como diretor de cultura da Prefeitura de Joinville (SC), promoveu um trabalho de resgate da cultura popular e de popularização das artes em geral, que ficou conhecido em todo o Brasil. Concertos, recitais eruditos e espetáculos de dança passaram a ser levados a lugares tais como praças públicas, escolas e igrejas. Exposições artísticas circulavam, de forma itinerante, nos bairros da cidade. E a literatura, especialmente a poesia, foi às ruas através de varais literários, dos quais foi o criador.

São marcos da época de Joinville a criação da, hoje tradicional, Feira de Arte e Artesanato, a implantação do Museu de Arte, a realização de concursos de jardins nas residências e fábricas, e a instalação da Escola de Dança, semente do que se transformou no maior festival de dança da América Latina. No mesmo período, foi também editor da revista literária Cordão.

Em 1980, transferindo-se para Florianópolis, Alcides Buss criou na UFSC uma das primeiras oficinas literárias do Brasil. Durante anos, as oficinas promoveram a renovação literária, abrindo espaço também para o desenvolvimento de outras artes, como o cinema. Através delas, os varais literários se intensificaram e foram alcançando, aos poucos, outras cidades e estados brasileiros.

Eleito em 1993 presidente da Associação Brasileira das Editoras Universitárias, para um mandato de dois anos, empenhou-se no fortalecimento da instituição, garantindo a participação das edições universitárias em todos os eventos nacionais e internacionais mais importantes. Seu objetivo maior, no entanto, foi a formação de uma rede nacional para distribuição e comercialização das edições acadêmicas, que abrange atualmente mais de cem livrarias.

Com o livro Pessoa que finge a dor, lançou em 1985 o Movimento de Ação do Livro. Através dele, parte de uma tiragem é destinada à circulação livre e popular. De mão em mão, o livro procura o seu leitor, podendo chegar a expressivo número de pessoas, nos mais distantes lugares.

Alcides Buss presidiu a União Brasileira de Escritores de Santa Catarina no período 1997-1999. Foi finalista do Prêmio Jabuti 2000 com o livro Cinza de Fênix e três elegias (Editora Insular, 1999). Em 2000 publicou o livro infantil Pomar de palavras, pela editora Cuca Fresca e, em 2002, pela Editora da UFSC, o livro Contemplação do amor - 30 anos de poesia escolhida. Seu livro mais recente é Saber não saber (Caminho de Dentro Edições, 2009).

Em anos mais recentes, Alcides Buss foi ainda diretor de Comunicação da ABEU, criando e mantendo durante seis anos o boletim eletrônico semanal ABEUemREDE, bem como a revista Verbo, órgão de divulgação do livro universitário brasileiro. No período de 2006 a 2008 foi diretor de Difusão Editorial da mesma entidade, sendo responsável pela implantação do Catálogo Unificado das Editoras Universitárias. Atualmente, coordena o Círculo de Leitura de Florianópolis.

 

EquipeDigital.com